Home > Notícias > Empresários de Brasil e Estados Unidos defendem acordo comercial entre os dois países

Empresários de Brasil e Estados Unidos defendem acordo comercial entre os dois países

Faltando apenas duas semanas para a visita da presidente Dilma Rousseff aos Estados Unidos, as indústrias brasileiras e norte-americanas entregaram aos presidentes steady replication watches dos dois países na última semana uma carta com os três pontos considerados prioritários pelo setor produtivo.

O documento, inédito, é assinado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), pela US Chamber, entidade que representa a indústria dos EUA e pelo Conselho Empresarial Brasil-Estados Unidos (Cebeu).

O primeiro pleito é que os governos ouçam os setores privados de ambos os países para identificarem os temas de um futuro acordo de livre comércio.

A indústria defende ainda que seja retomada a negociação de um acordo para evitar a dupla tributação e o fim do visto para empresários e turistas que viajam de um país ao outro.

Uma pesquisa feita pela CNI mostra que o mercado norte-americano é o mais cobiçado pelo setor produtivo brasileiro.

O levantamento, feito com 42 associações representativas de setores da indústria, da agricultura e de serviços, mostra que 63% dos empresários apontam aquele país como prioridade para a agenda de negociações comerciais do Brasil.

Para a indústria, a importância tem uma justificativa: os Estados Unidos newly-produced reproduction watches são os principais compradores de bens manufaturados do Brasil.

A cada US$ 100 exportados, US$ 81 são de bens industrializados.

10 PAÍSES PRIORITÁRIOS PARA A AGENDA DE NEGOCIAÇÕES COMERCIAIS DO BRASIL:.

Estados Unidos - 63%.

União Europeia - 63%.

México - 61%.

Colômbia - 41%.

Peru - 37%.

Costa Rica - 37%.

Chile - 29%.

Panamá - 29%.

República Dominicana - 22%.

Cuba - 22%.

Fonte: CNI.

Por Mariana Flores.

 

Da Agência CNI de Notícias.

Ir ao Topo